Washington escolhe entre aumento de impostos ou portagens

    1163

    carros

    Os legisladores em Washington estão à procura de uma maneira de subsidiar o fundo de transportes, responsável pela reparação e contrução das infraestruturas rodoviárias do País, e a questão terá de ser resolvida antes do próximo mês de Maio.

    Os membros de ambos os partidos dizem que querem ver o financiamento do fundo o mais depressa possível, mas ainda têm de chegar a um consenso sobre o assunto, criando o potencial para um impasse a poucas semanas da data limite.

    O Comité de Transportes e Infra-estruturas da Câmara continua à procura de soluções.

    Os legisladores têm navegado em redor de alguns projectos como por exemplo: aumentar em 18,4 cêntimos o imposto sobre a gasolina, a maneira mais fácil de pagar por um novo projecto de lei de subsídio às infra-estruturas.

    O imposto sobre os combustíveis tem sido a principal fonte de financiamento dos transportes durante décadas, mas não é aumentado desde 1993.

    O governo federal normalmente gasta cerca de 50 biliões de dólares anuais em projectos de transportes, mas o imposto sobre a gasolina apenas irá gerar cerca de 34 biliões de dólares por ano.

    Alguns legisladores estão a pressionar para que o Fundo seja financiado através do aumento de impostos sobre os lucros das empresas no exterior.

    A administração Obama, que apoia o plano, diz que poderia gerar cerca de 238 biliões de dólares em novas receitas para o governo, dinehiro que poderia ser usado para pagar por melhorias das infraestrutura.

    Alguns grupos estão a fazer pressão para aumentar a utilização de portagens em estradas americanas para ajudar a pagar a sua manutenção. Os opositores contra-argumentam que as pesquisas mostram que os eleitores não querem pagar para conduzir nas estradas que nunca tiveram portagens.

    Quem não acredita numa acordo bi-partidário e apenas a algumas semanas da data limite da negociação está convencido que a solução mais provável será uma extensão temporária financiada pelo orçamento federal.

    O Secretário dos Transportes, Anthony Fox, lamentou o número de fórmulas temporárias de financiamento do sector dos transporte – 32 nos últimos seis anos – que o Congresso passou desde 2009.