Utah cancela 5.900 mil cartas de condução de imigrantes indocumentados

    1352

    Utah DL

    O estado de Utah divulgou esta semana uma estatística dos primeiros cinco anos de mudanças nas leis estaduais para obtenção da carta de condução. O saldo foi positivo, segundo as autoridades locais. Ao todo 5.923 imigrantes indocumentados conduziam neste estado usando títulos de condução mas os mesmos foram cancelados.

    O estado oferece uma carta de condução especial que possibilita os imigrantes indocumentados poderem conduzir no estado, mas o documento não pode ser usado como documento de identificação. Cerca de 35 mil pessoas possuem este documento.

    Com a mudança na lei, há cinco anos, o estado passou a exigir a apresentação do cartão de social security (segurança social), passaporte e ou outro documento que prove a situação legal no país. O estado possui ainda um sistema electrónico de fotografia que faz o reconhecimento facial de cada condutor. Cerca de 400 pessoas já foram detidas graças à nova tecnologia.

    O número de cartas de condução ilegais apreendidas surpreendeu as autoridades do estado. “É muito maior do que imaginávamos”, segundo Nannette Rolfe, directora da Divisão de Cartas de Condução do Utah. Porém, os números agradaram ao governo. “Este documento poderia dar aos imigrantes indocumentados direitos que eles não têm. Poderiam, por exemplo, tentar votar nas eleições”, disse.

    O senador Curt Bramble (R), que ajudou a patrocinar a legislação, aprovou os esforços do estado em acabar com a emissão de cartas de condução para os imigrantes indocumentados. “A acção é confortante. Mostra que estamos no caminho certo”, disse Bramble.

    O novo sistema implementado há cinco anos, também ajudou o estado a resolver outros problemas na emissão de cartas de condução. Muitos condutores que não tinham direito ao privilégio de conduzir no estado e ou tentavam tirar uma segunda carta para favorecer parentes indocumentados ficaram impossibilitados de o fazer.

    Após algumas mudanças e controvérsias, a primeira fase do Federal Real ID Act teve início em 20 de Janeiro de 2014 e, pelo que tudo indica, deve estar totalmente implementada até o fim de 2016. O objetivo da lei é ampliar a segurança do país principalmente contra o terrorismo, para isso a emissão de documentos como a carta de condução sofreu alterações para dificultar a fraude.

    Uma das principais alterações será a necessidade da apresentação de passaporte para embarque em voos domésticos, inclusive para cidadãos americanos.