Sporting diz-se indignado com erros ‘grosseiros’ que ‘roubaram’ sete pontos

    1008

    Bruno de Carvalho

    O presidente do Sporting mostrou-se segunda-feira indignado pelo facto de o clube ter sido prejudicado em sete pontos na I Liga de futebol e pediu aos sportinguistas para dizerem “basta” às injustiças.

    “Temos estado reunidos desde manhã, porque há um sentimento que nos assola a todos, que é o de impunidade. Vamos assistindo e verificando que, cada vez mais, as coisas não são claras, as regras não são transparentes, e o Sporting, a nível de campeonato, já se viu defraudado em sete pontos, que, por coincidência, dariam o primeiro lugar ao nosso clube”, frisou Bruno de Carvalho.

    Bruno de Carvalho enumerou os jogos em que considera que o Sporting foi prejudicado por actuações “verdadeiramente desastrosas”, apontando os encontros com o Rio Ave, o Nacional, a Académica, o Benfica, na Taça de Portugal, e o encontro deste fim de semana com o Vitória de Setúbal, além de “toda a questão em volta da Taça da Liga”.

    O máximo responsável do clube de Alvalade defendeu que é unânime que o Sporting é o mais prejudicado dos três “grandes” pelas arbitragens nos últimos 30 anos.

    “Temos de mostrar a nossa indignação. Não podemos aceitar mais este estado de coisas. As instituições responsáveis têm de actuar na defesa da verdade desportiva”, defendeu.

    Para o presidente dos “leões”, “os factos são os factos” e estes dizem que a classificação do Sporting, que está a sete pontos do primeiro classificado, o Benfica, seria outra sem os factos que têm vindo a prejudicar o Sporting.

    “Não queremos ser beneficiados, queremos dizer um basta a sermos prejudicados. E não vemos ninguém a fazer com que isso aconteça”, prosseguiu, alertando que o prejuízo da sua equipa é algo que tem passado sempre ao lado e impune.

    De acordo com Bruno de Carvalho, para quem defende o futebol, além do próprio clube, o que tem acontecido ao Sporting “é uma desilusão constante”.

    “É fundamental serem os sportinguistas a mobilizarem-se e a dizerem basta”, garantiu, apontando “várias forças para baixo a puxar”, que não permitem aos “leões” pensar mais do que jogo a jogo.

    O presidente do Sporting, que revelou ter sido alvo de várias ameaças de morte, recordou que há vários meses que disse que o título estava entregue.

    “Vamos ver se as forças que puxam para cima e para baixo nos vão deixar ser segundos no campeonato”, acrescentou, lamentando o 2-2 de domingo, com o Vitória de Setúbal, que, na sua opinião, deveria ter sido um 3-1, e indicando o Benfica como a força que puxa para cima e o FC Porto como a força que puxa para baixo.

    Questionado sobre o facto de a conferência de imprensa acontecer poucos dias antes do jogo com o FC Porto, Bruno de Carvalho argumentou que o “timing” nada tem a ver com o “clássico”: “Isto não é uma semana antes do FC Porto, é uma semana depois da vergonha que foi o jogo de domingo, uma semana depois da vergonha que foi com a Académica, com o Benfica, com o Nacional”.

    “Uma vitória com o FC Porto não me vai encher a alma, porque não me devolve os sete pontos, que, de forma grosseira, nos foram retirados”, confessou.

    O presidente do Sporting assegurou que a sua intervenção não é um apelo à violência, uma vez que os “leões” são os primeiros a condenar qualquer tipo de violência, e pediu aos sportinguistas para se mobilizarem pacificamente para defender “a sério” o clube.