Secretário de Estado José Cesário visitou Grupo Seabra

1252

Seabra 2

Na passada segunda-feira, o Secretário de estado das Comunidades portuguesas, José Cesário, visitou as instalações do Grupo Seabra na cidade de Newark. Foi acompanhado na sua visita pelo cônsul geral de Portugal em Newark, Pedro Soares de Oliveira. António Seabra recebeu a comitiva no átrio do Grupo no 574 da Ferry Street.

As instalações são magnificas, amplas e bem desenhadas. A primeira impressão foi essa mangitude, seguindo-se uma apresentação por power-point dos recursos da empresa. Na sala de reuniões, num ambiente agradável e informal esteve o estado-maior do Grupo e a comitiva portuguesa interessada em conhecer melhor uma das maiores e mais bem preparadas empresas luso-americanas de importação nos Estados Unidos. “O projecto do Grupo Seabras é global. Levamos muitos produtos, portugueses e não só a uma vasta região americana com postos de distribuição espalhados um pouco por toda a América,” disse.

Após cerca de uma hora de explicação detalhada por parte de António Seabra e dos seus colaboradores, José Cesário percebeu claramente “todo o esforço e dedicação de centenas de trabalhadores para tornar possível a viabilidade de um projecto que começou do zero e que hoje é um império que transporta em mais de um milhar de contentores por ano, o que as comunidades étnicas mais ambicionam,” disse António Seabra.

Durante a reunião, tanto Cesário como o cônsul geral foram formalizando perguntas prontamente respondidas pelos intervenientes na reunião à qual assistiram os meios de comunicação. Mais tarde, em conversa com o jornal Luso-Americano, José Cesário referiu a importância dos empresários portugueses, na dinâmica de progresso do actual governo,’ Um dos objectivos deste governo é aumentar as exportações, e se produtos como novas tecnologias e veículos automóveis são importantes, os produtos do sector alimentar continuam a ser fundamentais e a sua colocação num mercado global depende destes empresários.Felizmente, hoje em dia, os nossos produtos são reconhecidos muito para além dos mercados chamados étnicos”, referindo de seguida: “as empresas e organismos portugueses perceberam a importância destes empresários para a divulgação dos seus produtos e hoje os chamados concelhos na diáspora são uma realidade onde a vertente económica para trabalhar com os seus que estão fora tornam as mesmas veículos de sucesso, pequenas e medias empresas apostam nesse factor determinante para o seu sucesso”. António Seabra por sua vez referiu, “torna-se fundamental crescer sempre para manter a qualidade e a sustentabilidade e de ano para ano procuramos sempre fazer mais”, adiantando de seguida: “os produtos portugueses estão hoje numa escala global devido à sua qualidade, as empresas portuguesas investiram na qualidade e hoje temos produtos competitivos em qualidade e em preço que fazem desses produtos apetecíveis, por isso notamos por exemplo o elevado número de contactos que recebemos de empresas portuguesas para exportação, o que nos deixa muito satisfeitos’.

O Grupo Seabra fundado em 1967 tem hoje mais de 1000 colaboradores , 50% dos quais de descendência portuguesa, e muitos deles funcionários desde que o Grupo começou a sua aventura na imigração, “O Grupo é uma empresa que não pertence apenas a uma família, pertence a todos os que aqui trabalham e aqui querem crescer,” disse. O Seabra Group inclui hoje uma vasta cadeia de 19 supermercados, uma rede de exportação através da Triunfo e da Aidil, uma empresa de processamento de carnes, vários restaurantes e um sector de leasing. A empresa possui mais de uma centena de camiões que diariamente percorrem as estradas americanas e está também representado na comunicação social através de um canal de televisão que, para além de programação local, distribui ainda os sinais da SIC Internacional, SIC Notícias e TVI. Com presenças acentuadas nos estados de New Jersey, Massachussets, Rhode Island, Florida e Califórnia e em praticamente todos os outros estados, indirectamente, o Grupo Seabra é hoje uma imagem de marca em relação ao produto português e a sua afirmação no mercado americano .