Rancho Barcuense cantou as janeiras

    961

     

    Cumprindo uma tradição já enraizada na comunidade, o Rancho Folclórico Barcuense saiu à rua e cantou as janeiras.

    Depois das festividades do Natal e do Ano novo chega o dia dos Reis e as tradições das janeiras. Pelas ruas de Newark, em restaurantes e casas comerciais os bombos, as concertinas, os reco-recos e acima de tudo uma contagiante alegria e boa disposição marcam a data e revivem uma tradição bem portuguesa.

    Manny Pereira, director do Barcuense referiu “cantar as janeiras é uma tradição bem portuguesa que aqui fazemos questão de reviver. Por isso, este novamente este ano saímos à rua e agradecemos o apoio, mantendo viva uma bonita tradição”.

    O Barcuense percorreu locais emblemáticos do Ironbound, locais que sempre abrem as portas para o grupo, como referiu o director do grupo, que aproveito para “agradecer a boa vontade da comunidade para connosco. É gratificante ver como as casas comerciais e particulares nos abrem as portas e nos tratam, a todos o nosso muito obrigado”.

    Tradicionalmente as janeiras são descritas como “cantigas de boas-festas por ocasião do Ano Novo”, relacionadas com Janeiro, o primeiro mês do ano, assim chamado em honra do Deus. Transmitidas de geração em geração, as janeiras têm origem nesses cultos pagãos, que mais uma vez o cristianismo não conseguiu apagar, mas antes pelo contrário assimilou. Foi esta tradição que o Cristianismo adaptou acrescentando-lhe os autos pastoris que evocam a cena do nascimento de Jesus e episódios a ele ligados: Nossa Senhora e S. José; os anjos anunciadores da “Boa Nova”; a vaca e o burrinho; os pastores.

    Em Newark viveu-se uma vez mais uma bonita tradição.