Presidente Obama não vai cortar beneficios do “Social Security

942

Barack Obama

O orçamento de Barack Obama para o ano fiscal de 2015 está praticamente pronto e não prevê cortes na área da segurança social, segundo algumas fontes da Casa Branca. “Este ano administração vai voltar a um orçamento tradicional, focado na criação de emprego e no crescimento económico e nos investimentos necessários para alcançar esses objectivos,” disse um funcionário da Casa Baranca. No ano passado, Obama propôs uma fórmula nova para calcular benefícios numa tentativa de refrear a pressão republicana quanto à dívida.

assinatura da lei encerra um ano de dissabores para Obama, que viu a reforma ser “pelos legisladores e muitas dificuldades na aplicação do seu progframa de saúde, além dos desacordos entre democratas e republicanos que chegaram ao ponto de paralisar a por 16 dias em Outubro do ano passado.

O plano contempla uma redução do défice em 23 biliões durante uma década sem aumentar os impostos, e elimina 63 biliões dos 85 em cortes automáticos em andamento desde Março, um grande alívio para o Pentágono. O acordo preliminar foi aplicado no início de mês pelo congressista republicano Paul Ryan, presidente do Comité Orçamental da Câmara dos Representantes, e pela senadora democrata Patty Murray.

No pacote de leis rubricadas pelo líder também estava a lei de Defesa Nacional para o ano fiscal que começou em 1 de Outubro e que contempla as despesas para os programas do Departamento de Defesa e alguns outros do Departamento de Energia e Transporte. Obama também lembrou que a lei autoriza os fundos para aplicar nas transferências de presos da Base Naval de Guantánamo. A lei de Defesa diminuiu as restrições para que os presos que já receberam sinal verde, a maioria dos 158 detidos na actualidade, possam abandonar a controversa penitenciária.

Quanto a eventuais cortes na segurança social, Obama promete não mexer nas reformas nem no Medicare, mas deverá estar mais atento a eventuais ilegalidades que no passado emsombraram o plano federal.