Paulo Bento quer evitar ‘Ronaldo-dependência’ no Mundial 2014

    1240

    Paulo Bento

    O seleccionador de Portugal, Paulo Bento, assegurou, domingo, que a sua equipa trabalha para não depender exclusivamente do talento de Cristiano Ronaldo no Mundial de futebol de 2014.

    “É natural que esperem muito dele, porque é um jogador capaz de fazer coisas fantásticas, mas sempre disse que, apesar de ser extremamente importante para nós, não espero e ninguém espera que faça as coisas sozinho. Temos que jogar como uma equipa que pode e deve aproveitar as melhores qualidades de cada um”, afirmou Paulo Bento numa entrevista publicada domingo pela versão digital no diário “O Estado de São Paulo”.

    O seleccionador português falou ainda do primeiro encontro do Grupo G contra a Alemanha, a 16 de Junho em Salvador.

    “Já jogámos contra eles no primeiro jogo do Euro2012 e, apesar de termos perdido por 1-0, fizemos uma boa exibição. Esperamos repetir o bom jogo, mas desejamos que o resultado não seja desfavorável desta vez”, acrescentou.

    Paulo Bento mostrou-se confiante de que a sua selecção vai ser muito apoiada no Brasil, devido à grande comunidade portuguesa.

    “Estamos muito entusiasmados com o apoio que acreditamos que vamos ter no Mundial, não só dos portugueses e descendentes, mas também dos brasileiros que obviamente vão apoiar a sua selecção, mas que nos vão receber bem”, sublinhou.

    O técnico apontou como favoritos Brasil, Alemanha, Espanha e Argentina, não incluindo a selecção nacional, que diz esperar estar nas “melhores condições possíveis”.

    “As condições serão iguais para todas as equipas no campo. Acredito que saberemos estar preparados para todas as condições que vamos encontrar”, garantiu.

    Além do encontro com a Alemanha, Portugal vai jogar com os Estados Unidos, a 22 de Junho, em Manaus, e fechará a primeira fase contra o Gana, a 26 de Junho, em Brasília.

    Sobre o facto de Portugal ter três treinadores entre os 32 seleccionadores mundiais — Carlos Queiroz, do Irão, e Fernando Santos, da Grécia —, Bento confessou ser motivo de satisfação e orgulho.