Novas empresas de energia eléctrica e gás estão a deixar residentes à beira de um ataque de nervos e sem dinheiro

    1188

    IMG_3913

    Quando Maria Rei, residente na South Street em Newark recebeu a factura de gás e electricidade referente ao mês de Janeiro, no valor de $446, não queria acreditar. A mesma tinha duplicado em relação ao mês de Dezembro. Mas Fevereiro trouxe nova surpresa para a reformada, que deitou as mãos a cabeça e contas à vida, a factura desse mês aumentou para $750.

    “Imediatamente contactei o PSE&G que me informou para contactar a minha nova empresa. Após dias de contacto sem respostas, pois ninguém falava português, consegui finalmente pôr cobro a essa situação sem que antes me tivessem ameaçado com um pressuposto contrato que o meu marido assinou”, conta a idosa que depois relatou a sua história. “Fui operada e o meu marido foi contactado em casa por um senhor que lhe prometeu mundos e fundos para poupar dinheiro na conta da electricidade e do gás . O meu marido foi na conversa e, quando recebemos a primeira factura, realmente o valor baixou mas depois foi o caos. Felizmente o meu nome estava na conta e não o do meu marido, senão tinha que me manter no contrato assinado e não sei como iria fazer para pagar as enormes contas que passei a receber”.

    O Luso-Americano contactou a empresa em questão, a Palmco Energy NJ LLC, sediada em Brooklyn, NY. Depois de vários contactos infrutíferos resolvemos contactar a empresa como possível novo cliente. O agente de serviço ao cliente reconheceu durante a conversa que “os valores cobrados oscilam em relação às condições climatéricas e que temperaturas adversas podem fazer subir os preços praticados”, algo que no caso de Maria Rei aconteceu drasticamente.

    O Luso-Americano sabe também que o caso de Maria Rei não é um caso isolado. São vários os residentes que se sentem enganados por falsas promessas feitas por agentes que, porta a porta procuram novos clientes. Presume-se que em New Jersey são já cerca de meio milhão de consumidores que utilizam essas empresas, num universo de 3.3 milhões.

    Desde os finais dos anos 90 quando o estado de New Jersey resolveu aprovar a lei de desregulamentação energética, e novas empresas apareceram no mercado. Contudo, o mesmo manteve-se estável até há cerca de dois anos quando um elevado número de novas empresas invadiram o mercado e começaram a desenvolver uma agressiva campanha de marketing, com promessas de reduzir os inflacionados preços do gás e da electricidade. Contudo, essas empresas compram a energia nos mercados regulares onde os preços oscilam consoante vários factores, como o clima.

    Mas o mercado parece ser deveras atractivo e lucrativo.

    Quando consultámos o website do estado de New Jersey, só na área de jurisdição do PSE&G, que inclui cidades como Newark e Elizabeth, existem 93 empresas catalogadas como “third party supplier”, com a lista a aumentar mensalmente. Isto demonstra o quão lucrativo pode ser o negócio, pois as empresas estão registadas mas não necessitam de clara regulamentação ou contratos relacionados com preços a praticar como empresas como o PSE&G ou JCP&L.

     

    Quando visitámos os websites de muitas dessas empresas surpreende o facto de a maioria não apresentar resultados relacionados com classificações do “Better Business Bureau”, entidade que controla os serviços aos consumidores nos Estados Unidos.

    Perante esse facto, é caso para dizer: antes de assinar qualquer contrato é sempre aconselhável informar-se correctamente sobre a empresa em causa. Essa informação pode ser obtida no website do estado de New Jersey no link http://www.state.nj.us/bpu/commercial/shopping.html.