NEWARK, NJ: Costureiro António da Silva apresentou passagem de modelos Kings and Butterflies no Sport Club Português

    1149

     

    Untitled-1IMG_4745

    O Sport Club Português viveu no passado domingo uma tarde de grande sucesso onde o glamour da alta costura e a arte personificada através da poesia, da música, das artes plásticas e do talento nato dos desenhadores presentes fizeram o resto.

    O evento excelente e memorável teve António da Silva no centro das atenções.

    O criativo desenhador, natural da Ericeira, mostrou uma vez mais ser um predestinado. As suas criações, já reconhecidas em certames mundiais como o concurso de Miss Universo e Miss Mundo, encheram o salão nobre do SCP de um verdadeiro glamour só presente nas melhores passerelles. Depois a simplicidade do artista e a sua vontade férrea de fazer a diferença deram o toque final num evento que para além de arrancar aplausos merecidos da assistência fez a mesma clamar por mais do mesmo num futuro próximo.

    Glória de Melo foi a apresentadora de serviço e uma vez mais esteve à altura do evento, mostrando mesmo a sua veia poética em poemas modernos e que celebraram também o virtuosismo da mulher no seu dia internacional.

    António da Silva referiu ao Luso-Americano “estou muito feliz por poder mostrar o meu trabalho no coração da minha comunidade, e quero agradecer à Proverbo e ao SCP por esta oportunidade. Ao mesmo tempo quero agradecer a todos os artistas presentes que com o seu contributo fizeram este evento ainda mais memorável”. Referiu de seguida “desenhar é o meu mundo e as minhas obras representam o meu estado de espírito.”

    Sobre o futuro disse “quero continuar a conquistar mercados sendo sempre o António da Silva que todos conhecem. O sucesso vem com o nosso empenho e isso é algo que tenho sempre presente”.

    A excelente componente musical teve em Eduardo Marques um dos pontos altos, mas também Emília Silva e Jorge Quaresma mostraram estar a altura do evento. Ricardo Jerónimo, com uma excelente colecção de jóias, e os desenhadores Tyron Chablis e Lynette Shepard, abriram o espectáculo e com a sua categoria permitiram um brilho ainda maior ao excelente Silva, num perfeito equilíbrio com a exposição patente que foi também do agrado geral e realçou a qualidade dos trabalhos apresentados.

    O champanhe e os aperitivos gentilmente oferecidos pelo clube e empresas da comunidade foram também um excelente complemento, lado a lado com a exposição de artes plásticas onde o talento comunitário uma vez mais emergiu.