Museu Comur abre na Murtosa, dedicado às enguias, que chegaram a alimentar as tropas de Mussolini

    1505

    MUSEU-COMUR-MURTOSA

    O que têm a ver as tropas de Mussolini com as enguias de escabeche é uma das muitas revelações que faz o novo museu Comur, que foi inaugurado sábado na Murtosa, onde a Câmara investiu cerca de 1,3 milhões de euros.

    Segundo Joaquim Batista, presidente da Câmara da Murtosa, “não é mais um museu da indústria conserveira, porque existem outros e bons no País”, mas um equipamento que conta a relevância das conservas de enguias para o território murtoseiro.

    Aproveitando a fábrica original de conservas da Comur, cujo edifício adquiriu à empresa, a autarquia transformou o espaço, acrescentando novas tecnologias aos equipamentos fabris, com soluções interactivas que ajudam o visitante a perceber o contexto histórico e local das conservas de enguias, mas também a conhecer as espécies da Ria de Aveiro.

    Conforme explica Joaquim Batista, a actividade conserveira nasce de um saber que já estava enraizado, “o das fritadeiras da Murtosa, mulheres que fritavam o peixe e o conservavam em molho de escabeche, para conseguirem vender o excedente em locais de grande distância”.

    • Para mais pormenores, ASSINE a edição online. Ou compre a edição impressa de 4ª feira, 25 de Fevereiro de 2015.