Mulher-capitão da polícia de Irvington tenta atropelar vereador John Sharpe James

    1023

    NJ NATIONAL GUARD DEPLOYMENT

    Uma mulher capitão da polícia de Irvington foi presa na passada terça-feira após, supostamente, tentar atropelar o vereador de Newark John Sharpe James com seu carro, de acordo com as autoridades.

    Segundo o porta-voz da polícia de Newark, sargento Ronald Glover, Monique Smith, de 43 anos, foi levada sob custódia por acusações que incluem agressão agravada, perseguição, assédio, dano criminal e múltiplas outras acusações de armas relacionadas com um incidente que envolveu o vereador do Bairro Sul de Newark, John Sharpe James.

    James estava perto de sua casa, na área da Elizabeth e Pomona Avenue quando foi confrontado por Smith cerca das 11 horas da noite de segunda-feira, de acordo com Glover. Monique gritou para James e este entrou no seu carro e saiu do local.

    Smith perseguiu James no seu carro forçando-o a embater váris vezes no veículo de James. O vereador dirigiu-se para a residência dos pais na Wilbur Street onde o pai, o antigo mayor Sharpe James interveio e serenou os ânimos.

    A polícia foi chamada para ao local, mas foi incapaz de localizar Smith até ao início da manhã de terça-feira.

    Não se sabe se o vereador ficou ou não ferido durante o incidente, nem tão pouco as razões que provocaram o confronto entre si e Monique.

    Múltiplas fontes policiais disseram que o confronto ocorreu horas após Smith ter sido promovida a capitão, durante uma cerimónia no decorrer da tarde de segunda-feira no Irvington Town Hall.

    O mayor de Irvington, Tony Vauss disse que ainda está a reunir informação sobre o incidente mas que Smith será suspensa sem salário durante o tempo de duração da investigação.

    “Monique tem sido uma excelente mulher-polícia durante os anos de serviço no Departamento de Polícia de Irvington”, disse.

    John Sharpe James recusou-se a comentar o incidente quando contacto pelo jornal Star Ledger na manhã de terça-feira.

    Smith também não comentou o assunto, e desconhece-se se procurou os serviços de um advogado.

    Não é a primeira vez que Monique está no centro de controvérsia.

    Dois ex-investigadores queixaram-se de, em 2012, Monique e o então chefe da polícia Michael Chase rotineiramente lhes ordenarem a alteração de relatórios e que elaborassem acusações injustificadas contra outros polícias.

    O Ministério Público lançou uma investigação sobre as estas acusações, que terminou sem processos criminais.

    Smith foi transferida dos Assuntos Internos, ingressando recentemente na divisão de Recursos Humanos de Irvington. Monique recebeu 116.252 dolares de salários em 2013, o ano mais recente que consta nos registos de folha de pagamento disponíveis.