Morreu a tia de Obama que vivia ilegalmente em Boston, MA

    1010

    Tia Obama

    A tia do Presidente Barack Obama, Zeituni Onyango, a quem foi negado asilo político nos Estados Unidos, mas que, mesmo assim se manteve ilegal neste país durante anos, faleceu recentemente com 61 anos de idade.

    Onyango, cuja status imigratório foi divulgado pela agência noticiosa France Press, dias antes de Obama ter sido eleito em 2008, tinha sido submetida a tratamentos para debelar um cancro e tinha também problemas respiratórios.

    A notícia foi tornada pública pela advogada Margareth Wong que adiantou que Seituni morreu num centro de reabilitação de Boston, Massachusetts.

    Onyango, meia-irmã do pai de Obama mudou-se do Quénia para os Estados Unidos em 2000 e foi-lhe negado asilo político por um juiz de imigração em 2004. Mesmo assim manteve-se ilegal nos Estados Unidos, vivendo numa casa da segurança social.

    Finalmente foi-lhe concedido asilo em 2010 por um juiz que defendeu a possibilidade de Zeituni poder enfrentar perigo de vida no caso de regressar ao Quénia, dada a sua relação com Obama.

    Onyango nasceu no Quénia em Maio de 1952 por debaixo de uma mangueira (árvore da manga).

    Wong disse que Onyango começou a ficar doente em Janeiro passado, falecendo durante o sono.

    Há indicações que a Casa Branca não interveio no seu caso de imigração e que o Presidente não reagiu à morte da tia.

    Curiosamente Onyango nunca fez jus do seu estatuto familiar enquanto indocumentada nos Estados Unidos ainda que a situação servisse de arma de arremesso da oposição republicana em várias ocasiões, ainda que Obama nunca se tivesse deixado influenciar pela situação da tia.