Montalegre investe dinheiro das rendas da EDP pelas barragens na agricultura

1088

Montalegre

A Câmara de Montalegre vai investir um milhão de euros, verba proveniente das rendas pagas pela EDP pela exploração das barragens, na agricultura, pecuária e florestas para fixar pessoas e criar empregos, avançou à Lusa o presidente.
Orlando Alves referiu que, neste momento, a preocupação principal não pode ser a realização de obras, porque o concelho já está dotado de infra-estruturas, mas impulsionar a actividade produtiva para a revitalização e dinamização económica do concelho.
“Se já não vamos a tempo de provocar movimentos migratórios que tragam pessoas de fora do nosso território para junto de nós, pelo menos que consigamos estancar este ímpeto que as pessoas têm de abandonar a sua terra para irem para o estrangeiro”, disse.
Para criar postos de trabalho e fixar pessoas nesta vila de Trás-os-Montes, o autarca pretende aproveitar os 80% de área baldia existente, apoiar e incentivar novos projectos e atrair investimentos empresariais.
“Seríamos ricos se aproveitássemos as nossas potencialidades e exemplo disso é a vasta área baldia que temos. Mas não, temos desprezado o que temos e assim não dá para continuar”, afirmou.
Criar riqueza, proteger a floresta e valorizar o território são, na opinião de Orlando Alves, os pilares essenciais para travar a desertificação e o “flagelo” da emigração, sobretudo dos mais novos.
“As populações rurais estão envelhecidas, as aldeias despovoadas, os montes abandonados e não há relação entre a comunidade e a floresta. Temos de inverter este marasmo sob pena do concelho definhar por completo”, acrescentou.
Montalegre tem instaladas no concelho quatro barragens (Alto Rabagão, Alto Cávado, Paradela e Venda Nova), além de uma parte da barragem de Salamonde. No total, produzem cerca de 150 milhões de euros de energia eléctrica anuais.

Durante 20 anos, a autarquia travou um “braço de ferro” com a eléctrica portuguesa para aumentar o valor das rendas que, em 2011, passou de 70 mil euros anuais para 700 mil.

No ano passado, a EDP investiu 900 mil euros na melhoria da rede eléctrica da vila, fazendo a substituição de lâmpadas e dos condutores e remodelação da rede eléctrica.