Mário Santos – Uma década ao serviço da educação

    2573

    Mario

    O Luso-Americano entrevistou o Dr. Mário Santos, director do Liceu East Side desde 2005, e que devido a um trabalho de bases tem obtido excelentes resultados não só académicos mas também a nível social, alterando assim a história de uma escola e de centenas de alunos que a frequentam.

    Mário Santos nasceu na Bairrada numa pequena localidade chamada Quinta do Cedro, na freguesia da Camarneira, no concelho de Cantanhede. Emigrou para os Estados Unidos com sete anos de idade e fixou residência com os seus pais em Newark onde frequentou primeiro a Wilson Ave e depois o liceu East Side, onde terminou os estudos em 1985, frequentando depois a Universidade Rutgers.

    Terminado o seu bacharelato e depois de trabalhar um ano no sector privado, Mário Santos começou a sua carreira como professor de Estudos Sociais no mesmo liceu onde estudou. Depois dessa experiência trabalhou no escritório central das escolas de Newark como assistente do Superintendente, voltando depois à Wilson Ave como vice-director. Ao mesmo tempo começou a frequentar a Seton Hall University onde terminou o doutoramento. Foi de imediato convidado para ser director do ;iceu, cargo onde se encontra até hoje, com os resultados conhecidos.

    Mário Santos recorda essa época: “o East Side vivia uma época bastante complicada e o superintendente na altura lançou o repto que não poderia deixar de aceitar”.

    Nessa altura começou um processo de restruturação onde os seus objectivos foram concretamente apresentados. Teve a coragem de dizer que os professores tinham de se dedicar inteiramente às crianças e que nessa altura o principal problema da escola era que os professores não acreditavam no potencial dos alunos.

    “Como professores temos que dar o exemplo e fazer sempre mais”, adianta.

    Essa mentalidade ganhadora, onde os estudantes são o centro de acção está a dar frutos, resultados como os agora alcançados pela equipa de basquetebol, ou de debate são para Mário Santos, “resultado de uma liderança forte assente na visão de professores com responsabilidades que se dedicam inteiramente aos seus alunos e que trabalham dia a dia para o seu sucesso, isso é o que eu peço a cada professor que trabalha connosco. Dedicação, responsabilidade e paixão pelo ensino e que acreditem nos alunos que trabalham com eles e alterar essa mentalidade foi o principal problema.

    A demografia do liceu East Side mudou drasticamente. “Antes a maioria dos alunos eram portugueses, hoje somente cerca de 20% desses alunos são portugueses. Actualmente a maioria são latinos ou afro americanos, mas isso não altera a minha agenda que passa por levar estes alunos ao sucesso”. Os níveis de aproveitamento falam por si. “Há 10 anos 1200 alunos não conseguiam passar de ano e somente 70 passavam com distinção. Hoje temos mais de 500 alunos que conseguem essa distinção e menos de 500 que não conseguem aproveitamento isso deve-se aos excelentes profissionais que temos que acreditam nos alunos, que trabalham com paixão para fazer a diferença , que acreditam no trabalho e na dedicação como factores de sucesso”.

    Sobre o facto das escolas estarem debaixo do controle do estado Mário Santos refere não estar preocupado com quem tem o controle das escolas. “Tenho muito orgulho em ser português e ser imigrante, essa faceta deu-me a responsabilidade de lutar por objectivos e fazer a diferença, e é essa diferença que quero incutir nos meus alunos, não importa de onde venhamos podemos triunfar temos que ser dedicados e acreditar”.