Luis Quintana vai colocar mais 100 polícias nas ruas de Newark

1033

Newark Quintana

Na passada terça-feira o Mayor Interino da cidade de Newark, Luis Quintana, anunciou em conferência de imprensa e na presença de praticamente todos responsáveis da cidade e do condado, a contratação de mais 100 agentes de autoridade durante o ano de 2014. Esta medida surge depois de Newark ter vivido um dos seus mais sangrentos períodos o ano passado, com 111 homicídios registados, mais 15 em relação ao ano de 2012. “Vamos por mais botas nas ruas da cidade, vamos fazer sentir a presença dos nossos agentes. Esta onda de violência tem que ser controlada, serão mais 100 agentes e 26 carros patrulha nas ruas, para além de uma necessária optimização de recursos disponíveis”, referiu Quintana. Os 100 novos agentes farão parte de duas novas classes. Uma de 53 agentes começará a sua formação na academia em Março, recorde-se que o custo desta acção foi já incluída e aprovada no orçamento de 588 milhões referente a 2013. A ideia de Quintana de contratar mais cinco dezenas de policias, com o início das classes a apontar para o final do ano, levantou questões na audiência. Aníbal Ramos referiu que “essa medida necessária requere fundos e perante a situação do governo estatal em relação a Newark, essa necessidade pode estar comprometida”. Como é do conhecimento público o Estado de New Jersey está a levantar entraves a novas contratações na cidade, depois de ter injectado fundos nos últimos dois anos. O buraco financeiro na cidade para o próximo orçamento é de cerca de 30 milhões de dólars, elucidativo quando só o ano passado o Estado emprestou 32 milhões. A postura do Estado mereceu de outro candidato à liderança da autarquia, Ras Baraka, o seguinte comentário “New Jersey deve tirar de uma vez por todas as algemas à nossa cidade”. Samuel DeMaio, director da polícia de Newark, respondeu a essa questão: “devem estar criadas condições para a contratação desses agentes, pois 187 agentes do corpo actual de 1006 agentes atingem a idade de reforma”, lembrando ainda que desde que tomou a rédeas do departamento, o mesmo passou de 1345 agentes para os mencionados 1006, devido a despedimentos e reformas”, concluiu . Newark vive momentos de verdadeiro terror, as situações de violência multiplicam-se e mesmo com a percentagem geral de crime inferior em relação a 2012, incluindo ainda uma redução de crimes com armas não letais, a verdade é que o número de assassinatos em catadupa está a deixar a população apreensiva e os residentes à beira de um ataque de nervos.