LONG BRANCH, NJ: Direcção de 2014 já tomou posse no Clube Português

1971

Nova Direccao1
A nova direcção do Portuguese Club of Long Branch, para o ano de 2014, já tomou posse. A lista liderada por Bruno Machado, natural de Amiais de Cima, no Ribatejo, foi a única a apresentar-se aos cerca de 50 sócios que compareceram na assembleia geral de três de janeiro. “Nao vamos fazer muito nem pouco. Vamos fazer aquilo que nos for possível” disse o novo presidente do clube português de Long Branch.
Bruno Machado revelou ainda a ambição de fazer do clube a casa de todos os portugueses daquela região do estado de New Jersey. “Não quero que este seja o clube dos portugueses da localidade A ou do lugar B. Nos Estados Unidos, todos nós somos primeiro portugueses e devemos ter orgulho disso!”, referiu, prometendo ainda um mandato de “muito trabalho e dedicação”.
Bruno Machado recebeu as chaves do clube das mãos do anterior presidente, Frank Afonso, que, ao Luso-Americano, fez um balanço do mandato que agora terminou. “Neste tipo de organizações há que ter muita paciência e trabalhar muito. Isto requer muitas horas longe da família”, lembrou. O agora anterior presidente recordou ainda que os tempos não estão fáceis para instituições desta natureza. “Os sócios cada vez são menos. É preciso atrair juventude para que o clube possa continuar. Por isso desejo a melhor sorte aos novos dirigentes, e que trabalhem duro como nós trabalhámos”, afirmou.
Sobre as actividades que mais orgulho e prazer deram ao serem concretizadas, Frank Afonso não hesitou em apontar as obras realizadas no salão principal do clube. “Gastámos ali muito dinheiro. Aquele espaço está impecável, praticamente novo. Gostaría-mos de ter feito obras no bar, mas já não tivemos tempo. Também gastámos algum dinheiro com a cozinha, comprámos uma má-quina de lavar louça para as senhoras que nos ajudam e que trabalham muito duro nas nossas festas.”
Convidado a perspectivar o futuro do Portuguese Club of Long Branch, o anterior presidente voltou a vincar a importância de envolver a juventude no futuro de instituições desta natureza.res”.