KEARNY, NJ: Monumento que perpetua a presença portuguesa inaugurado no Parque Frank Cardoza

    1077

    IMG_4952

    A comunidade Portuguesa de Kearny viveu um dia especial no passado domingo com a inauguração de um monumento que perpetua a presença da comunidade luso-americana naquela vila do condado de Hudson. O monumento foi erigido no Parque Frank Cardoza, paredes-meias com o Rio Passaic, e coincidiu também com as cerimónia da celebração do Dia de Portugal.

    Na inauguração marcaram presença diversos dignitários, entre eles o cônsul geral de Portugal em Newark, Pedro Oliveira, o presidente da Câmara de Kearny Al Santos, o administrador do condado de Hudson Thomas DeGise, o freeholder Albert Cifelli, membros do concelho municipal de Kearny, o padre Adauto Alves da Igreja de Santa Cecília, o comendador Bernardino Coutinho, e José Maria Matos, presidente da Associação Cultural Portuguesa (ACP) de Kearny, que dinamizou e levou a cabo esta excelente ideia, lançada pelo vereador Albino Cardoso há cerca de cinco anos.

    Os hinos nacionais foram excelentemente interpretados pela banda Nossa Senhora de Fátima.

    O monumento, de 5 pés de altura, inclui a esfera armilar portuguesa, um extracto de “Os Lusíadas” de Camões e o símbolo da ACP, e foi construído em granito pela empresa Thomas Meloro & Son e custou cerca de $16,300 dólares. A Associação Cultural Portuguesa espera lançar um livro onde serão incluídos os nomes de todos os que contribuíram para o mesmo.

    Alberto Santos, presidente da câmara, referiu “o orgulho de pertencer a uma comunidade como a portuguesa, mas também a responsabilidade que temos agora de modo a que a nossa presença se perpetue ainda mais através das novas gerações“. Referiu de seguida “o trabalho desta comunidade. A sua contribuição nesta vila são motivo de orgulho e hoje vivemos um marco importante e a mensagem de Camões “ … e se mais mundo houvera, lá chegara” deve servir de exemplo para as gerações vindouras”.

    No final, o Rancho “Sonhos de Portugal” animou os muitos presentes unidos num sentido de Portugalidade característico da comunidade lusa de Kearny, que cumpriu assim um sonho de perpetuar o nome de uma comunidade dinâmica, trabalhadora e respeitada.