Jovem encontrada morta em Natal foi estrangulada com fio

1813

EMPRESÁRIO PAULISTA É SUSPEITO NO CASO

O laudo necroscópico do Itep (Instituto Técnico Científico de Polícia do Rio Grande do Norte) feito no corpo da jovem Clara Rubianny Ferreira, 26, apontou que ela foi assassinada. Segundo o laudo assinado pelo médico  legista Cícero Tibério, a jovem foi estrangulada com um pedaço de fio no pescoço. Clara foi encontrada morta em um apartamento em Natal, no dia 22 de julho deste ano. O corpo estava enrolado em lençóis e sacos plásticos em um quarto com o ar-condicionado ligado. Segundo a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) da zona sul, o aparelho de ar-condicionado estava ligado para conservar o corpo, que seria esquartejado para facilitar a ocultação do cadáver. O corpo da jovem foi encontrado em estado de decomposição pela PM (Polícia Militar) no apartamento do empresário pau-  Clara Ferreira lista Eugênio Becegato Júnior, localizado no bairro
da Ponta Negra, zona sul de Natal, após vizinhos acionarem a polícia devido ao mau cheiro. Clara era natural de Caruaru (138 km do Recife), e o corpo dela foi reconhecido pela família devido a uma tatuagem na perna.
O empresário Eugênio Becegato Júnior, de Ribeirão Preto (318 km de São Paulo), é suspeito pelo assassinato. Ele foi preso em uma barreira da PRF (Polícia Rodoviária).