Jack Costa, participa este fim de semana no Curso Mundial de Dirigentes Associativos na Diáspora

    912

    Jack1

    Jack Costa foi o nome escolhido para representar as comunidades da Costa Leste dos Estados Unidos no Curso Mundial de formação de dirigentes associativos na diáspora, organizado pelo Governo de Portugal através da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas que decorre presentemente em Lisboa.

    Costa afirma que “o futuro do associativismo nos Estados Unidos passa pela implementação de um modelo profissional de gerência e pela criação de um Centro cultural na linha de Danbury ou Caracas”

    O encontro que se realiza pela 3ª vez, procura conseguir um intercâmbio de ideias relacionadas com o associativismo na diáspora e contará com a presença de 30 dirigentes associativos oriundos de vários países com presença Portuguesa.

    O curso decorre de 5 a 7 de Março tem uma componente teórica com incidência em áreas como programas de acção, organização e gestão associativa, e também uma componente prática que levará os formandos a visitarem e conhecerem a realidade do trabalho desenvolvido por diferentes associações em Portugal.

    O nome de Jack Costa dispensa apresentações. Natural dos Arcos de Valdevez o jovem actualmente com 38 anos chegou aos Estados Unidos com 14. Desde aí o seu envolvimento nas causas associativas tem sido notório. Ainda no liceu participou em várias campanhas de naturalização promovidas pelo Congresso Luso-Americano de New Jersey (PAC-NJ). Na Universidade ingressou no Clube de Estudantes Portugueses, os Lusíadas.

    Uma histórica reunião como presidente dos Lusíadas no Sport Club Português marcou o inicio do seu envolvimento com o mais antigo clube Português em Newark. O objectivo dessa reunião era trazer a juventude de volta à organização, o objectivo foi conseguido. Desde 1999 Jack Costa tem sido parte do concelho de Administração do Clube, primeiro como director de Jovens com um trabalho notável que o levou ao cargo de vice-presidente e de presidente, tornando-se o mais jovem presidente da histórica associação. Actualmente Jack Costa é um dos directores de comunicação do SCP.

    Nestes 24 anos de vida ligada ao associativismo Jack foi distinguido por várias vezes tendo recebido entre outros, o prémio de membro do Ano dos Lusíadas em 1998, o prémio “Service Award” da COPAE, a proclamação de reconhecimento do Governador de New Jersey em 2002 e 2004, o prémio Proverbo em 2007 e a Medalha de Honra e Mérito das Comunidades Portuguesas concedida pelo Governo Português que lhe foi entregue por Martins da Cruz, Ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades Portuguesas em 2002.

    Em conversa com o Luso Americano o jovem referiu que “o associativismo é uma paixão. Quando se chega a um clube como o Sport Club Português aprende-se imediatamente a amar este clube”, referindo de seguida: “hoje vivem-se tempos diferentes e devido a uma nova vaga de imigração o SCP volta a ser a casa de acolhimento como o foi no passado”.

    A realidade dos clubes também é diferente e Jack Costa refere que “um clube como o SCP é uma empresa “e temos que avançar para um modelo profissional, o modelo de Danbury ou Caracas é um bom exemplo, mas também sei que pela autonomia dos vários clubes Portugueses na nossa área esse é um objectivo ainda longe de estar alinhavado, a nossa comunidade vive no presente e ainda não demos passos a pensar no futuro”.

    Jack Costa não nega a sua paixão pela cultura e tradições portuguesas e refere, “ a realidade de hoje é diferente e temos que começar a pensar no futuro , respeitando a autonomia de cada clube, mas sabendo que temos que manter esta chama de Portugalidade”.