Jack Casimiro ofereceu ecocardiógrafo ao Hospital das Caldas da Rainha

    1815

    Jack Casimiro

    Segundo a “Gazeta das Caldas” um dos emigrantes caldenses mais bem sucedidos no mundo, Joaquim Casimiro (proprietário do Power Concrete, uma empresa de construção que facturou 40 milhões de euros em 2014), ofereceu um equipamento de topo de gama para o serviço de Cardiologia do Hospital das Caldas da Rainha.

    O novo ecocardiógrafo permite uma maior diferenciação dos meios complementares de diagnóstico na área da Cardiologia, sendo mais rápido e mais rigoroso nos exames que realiza. “Com algumas imagens conseguimos ver o coração quase que anatomicamente, praticamente como se fosse numa intervenção cirúrgica”, explicou Ernesto Carvalho, director do serviço de Cardiologia do CHO.

    O equipamento já está em funcionamento desde Dezembro, mas no passado dia 10 de Fevereiro o benemérito esteve no Hospital das Caldas para descerrar uma placa com o seu nome, que foi atribuído ao laboratório de ecocardiografia.

    Segundo Ernesto Carvalho, a oferta surgiu depois de uma conversa que teve com Joaquim Casimiro, nos Estados Unidos. “Já o conheço há alguns anos e sei como tem sido um grande benemérito. Pedi-lhe que nos auxiliasse com a compra deste equipamento, uma vez que o anterior estava no ‘fim de linha’”, contou. “Ele disse na hora: compre” e Ernesto Carvalho fez logo a encomenda do ecocardiógrafo. O equipamento custou 84 mil euros e foi oferecido ao Grupo de Estudos da Cardiologia do hospital caldense.

    Em todo o país só existem 12 equipamentos desta qualidade, nomeadamente em hospitais centrais ou privados. O cardiologista salientou a importância de beneméritos como Joaquim Casimiro para que os hospitais se consigam modernizar. Também o presidente do CHO, Carlos Sá, disse que “é com homens como o senhor que é possível continuar a garantir a qualidade do serviço prestado às populações” porque nem sempre há condições financeiras para adquirir os equipamentos necessários.

    Joaquim Casimiro mostrou-se muito satisfeito com a aquisição que fez e deixou o desejo que esta “faça o bem a muita gente”. O empresário explicou que gosta de “ajudar boas causas” e por isso não hesitou em corresponder ao pedido de Ernesto Carvalho.

    Mais conhecido como Jack Casimiro, o empresário, natural da Serra do Bouro, é um autêntico “self made man” que aos 16 anos partiu para os Estados Unidos. “Emigrei com os meus pais. Eu venho de uma família muito pobre, mas muito séria”, contou. Corria o ano de 1963 quando chegou à América e começou a trabalhar na construção civil. O primeiro ano esteve em Perth Amboy, mas mudou-se de seguida para Newark, onde na década de 80 fundou a empresa Power Concrete, que constrói infra-estruturas e obras públicas (pontes e aeroportos) em diversos estados norte-americanos.

    Aos 68 anos, continua a trabalhar diariamente, mas tenta dividir o seu tempo entre os Estados Unidos e Portugal. “Todos os anos venho mais do que uma vez a Portugal. Fico sempre um mês ou dois. O ano passado cheguei a ficar quase seis meses”, revelou.

    Em 2011 Jack Casimiro também foi homenageado pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas com a medalha de mérito. A cerimónia de entrega desta distinção teve lugar no salão nobre da Câmara das Caldas da Rainha.

    Como o cardiologista Ernesto Carvalho definiu, trata-se de “um homem bom” e que tem ajudado muitas instituições na região Oeste, nomeadamente os Bombeiros e o lar da Serra do Bouro. Também nos Estados Unidos o emigrante caldense tem contribuído para algumas instituições de solidariedade e de saúde.