Incêndio “pavoroso” desaloja mais de mil em Edgewaters, New Jersey

    1280

    Picture 1

    Moradores de um complexo residencial de luxo, em Edgewater, NJ., que rapidamente se tornou um inferno na passada quarta-feira, viram as suas vidas destruídas por um violento incêndio que consumiu um enorme edifício, não obstante o trabalho de mais de 300 bombeiros de várias corporações.

    Durante uma conferência de imprensa o Mayor de Edgewater, Michael McPartland disse que alguns bombeiros sofreram ferimentos leves, mas por outro lado, ninguém ficou ferido do lado dos moradores. Os bombeiros resgataram uma mulher da violência do fogo.

    McPartland também declarou o estado de emergência no local cortando o acesso a algumas estradas e encerrando as escolas locais no dia seguinte. Cerca de 160 pessoas tiveram de passar a noite num centro comunitário local.

    “Foi um fogo terrível”, disse McPartland cerca das 23 horas, quando o fogo ainda ardia nas proximidades, quase sete horas após os bombeiros terem chegado ao local.

    As autoridades disseram que o edifício estava equipado com sprinklers desconhecendo-se por que as chamas se espalharam tão depressa na construção de 175 unidades.

    Centenas de bombeiros de Bergen, Union e Hudson estiveram no local combatendo o incêndio, um dos mais destrutivos da história do município. Navios com agulhetas de New York City e Jersey City também responderam transportando água para os bombeiros, disse o autarca.

    Foram registados ferimentos em alguns animais de estimação no prédio, de acordo com o Mayor. Autoridades médicas estiveram no local para cuidar dos animais feridos ainda que se desconheça o número de animais domésticos que foram retirados do edifício em chamas.

    A causa e origem do fogo continuam sob investigação, segundo o Executivo do Condado de Bergen, James Tedesco, que se juntou a McPartland no local do sinistro.

    Edmund Rhoads, porta-voz da Comunidade Avalon, disse que cerca de 400 residentes foram inicialmente deslocados, acrescentando que foram transportados para um abrigo temporário numa escola nas proximidades antes de serem transferidos para o centro comunitário. Alguns dos residentes na comunidade Avalon estavam a chegar dos seus empregos quando se defrontaram com o incêndio

    “Estou a pensar em todas as coisas que podem e não podem ser substituídos, mas dou Graças a Deus porque a família está bem. É o principal. As coisas materiais não têm importância, só a família.” disse Cole Talbot, de 23 anos que residia no edifício com os pais.

    Este mesmo complexo sofreu um incidente semelhante há cerca de 15 anos, tendo ardido toda a estrutura quando a mesma se encontrava em construção.

    O “Avalon” é um complexo de luxo, habitado sobretudo por executivos que trabalham na área de Manhathan,

    “Um incêndio pavoroso,” dosseram alguns que ainda não estão refeitos da violência da tragédia.