Guarda-roupa à prova de caos

1571

limpezaarmario

Ter um guarda-roupa organizado e funcional pode ser um bicho-de-sete-cabeças para muitas pessoas, porque implica tempo e paciência. Mas é possível fazê-lo em apenas três passos. Leia como.

Quantas vezes olhou para o seu guarda-roupa e pensou “não tenho nada para vestir”? Ou não conseguiu encontrar aquela peça fantástica que queria usar? O mais provável é ter bastante roupa, mas acabar por usar quase sempre a mesma ou fazer sempre as mesmas combinações. Redescubra as peças que foram “engolidas” ao longo dos tempos pelo seu roupeiro e aprenda a maximizar a roupa e o espaço que tem.

Passo 1: Retire tudo do guarda-roupa e avalie a roupa e o espaço disponível.

Ao esvaziar o guarda-roupa torna-se mais fácil ver tudo aquilo que tem e perceber como vai reorganizar o espaço. Aproveite a ocasião para fazer uma limpeza geral e arejar o roupeiro. Verifique se precisa de substituir os saquinhos perfumados e os anti-traças.

Passo 2: Analise peça por peça e decida o que fica e o que sai. Divida a sua roupa pelos seguintes montes:

– Peças que usa com frequência;

– Peças de ‘ocasiões especiais’, como roupas de festa, cerimónias, roupa de maternidade, etc.

– Peças que precisam de algum arranjo, reparação ou limpeza. Quanto mais depressa tratar deste monte, mais depressa voltará a usar aquela peça que lhe fica larga ou precisa de ser cosida.

– Peças de valor ou potencial vintage: são para guardar. Não se esqueça de que a moda é cíclica e uma pequena reciclagem pode fazer a diferença no futuro.

– Peças em bom estado mas que já não usa ou não gosta: podem ser vendidas ou doadas a alguma instituição.

– Peças em mau estado: lixo.

Passo 3: Organize o seu guarda-roupa e comece a guardar as peças.

– Quando já tiver decidido o que fica e o que sai, e tiver o espaço desimpedido, organize tudo por categorias (casacos, camisas, saias, calças, etc) e, dentro dessas categorias, organize por cores (das claras para as mais escuras), pois torna-se mais fácil encontrar as peças que procura e fazer novas combinações com a roupa que tem.

– Decida o que fica pendurado como, por exemplo, casacos, camisas, calças e saias, e o que vai para as gavetas como malhas, pijamas e t-shirts.

– Perceba quais os tipos de cabides que fazem mais sentido no seu guarda-roupa. Se usa muitas saias, precisa de cabides com molas, por exemplo. Tenha preferência por cabides de madeira, já que os de metal marcam muitas vezes as peças, tornando-as disformes. Evite, se possível, usar mais de uma peça por cabide. No máximo use duas por cabide.

– Reserve a parte de mais fácil acesso do seu armário para as roupas e acessórios que mais usa. Porquê? Se não vê a peça, o mais provável é que não a use. O mesmo com o calçado. Se guardar debaixo da cama ou noutro lugar escondido, vai continuar a usar sempre os mesmos sapatos. Lembre-se que “longe da vista, longe da mente”.

– As peças que não usa diariamente, como as de ocasiões especiais ou com potencial vintage, devem ficar arrumadas noutro sítio, como debaixo na cama ou na arrecadação, para não atrapalharem no dia-a-dia.

– Utilize caixas para guardar peças pequenas, como cintos, cachecóis, lenços, luvas, etc.