FC Porto vira eliminatória em Frankfurt

912

Eintracht Frankfurt vs FC Porto
O FC Porto virou, no terreno do Eintracht de Frankfurt, vários momentos de desvantagem nas duas mãos dos “16 avos” da Liga Europa de futebol, com um empate, hoje a 3-3.
A passagem aos oitavos de final, no quais os “dragões” encontrarão os italianos do Nápoles, fez-se após um 2-2 na primeira mão, com vantagem para a equipa alemã, que, ao intervalo da partida de hoje, vencia por 1-0, aumentou para 2-0 aos 52 minutos e até esteve a ganhar por 3-2 a um quarto de hora do final.
Mas dois golos do francês Mangala, que assim se redimiu de uma exibição menos conseguida no jogo anterior, e um do argelino Ghilas, a cinco minutos do final, anularam os três tentos alemães, marcados por Aigner e Alex Meier (dois).
Por comparação com o “onze” derrotado no domingo pelo Estoril, por 1-0, Paulo Fonseca operou duas alterações: Maicon por Abdoulaye (não pode jogar na prova) e Carlos Eduardo por Josué.
Face ao jogo da primeira mão, o técnico Armin Veh apostou numa linha avançada formada pelos extremos Barnetta e Aigner, em apoio ao avançado espanhol Joselu.
O FC Porto entrou bem na partida, instalando-se na intermediária do anfitrião, mas nunca conseguiu criar linhas de passe para o muito solitário Jackson Martinez.
Foram os germânicos a dispor da primeira ocasião de perigo, aos 27 minutos, quando Flum ganhou um ressalto na área portista e, praticamente sem oposição, rematou por cima da barra de Helton.
Volvidos dois minutos, Danilo cruzou da direita e Herrera, já na pequena área, cabeceou sem oposição, mas de forma completamente desenquadrada com a baliza de Trapp.
Aos 37 minutos, após boa jogada de envolvimento na direita, um cruzamento feito para o poste mais longe permitiu a Alex Meier servir Aigner, que desviou com sucesso sem hipótese para Helton.
Os “dragões” reentraram em campo sem qualquer alteração e logo na primeira jogada de ataque, o Eintrancht ia aumentando a vantagem, por Joselu, mas a bola saiu a rasar a baliza, disparada já no interior da área.
Sem soluções para contrariar tanto à-vontade germânico, o FC Porto sofreu o segundo golo, aos 52 minutos, marcado por Alex Meier, assistido por Barnetta, que se desmarcou com velocidade, face à subida da defesa portista.
Acto contínuo, Paulo Fonseca substituiu o médio mexicano Herrera e apostou num segundo avançado, o argelino Ghilas, que deu mais apoio a Jackson, sempre muito só entre os centrais alemães.
Aos 58 minutos, o francês Mangala respondeu com êxito, após um bom cruzamento de Quaresma, na direita, fazendo os “dragões” espevitar, apesar de um sobressalto na grande área, quando Helton e Varela se desentenderam, com o extremo a tirar a bola em cima da linha.
Um remate potente de Maicon voltou a revelar a vontade portista em dar a volta aos acontecimentos, o que aconteceria em jogada muito idêntica à do primeiro golo, quando Mangala bisou, aos 71 minutos, desta vez a passe de Fernando para o interior da área, na sequência de um livre apontado por Quaresma.
Ainda havia mais um “balde de água fria” marcado para os 76 minutos, quando Meier, também a “bisar” na partida, apareceu ao segundo poste, a rematar de cima para baixo, após cruzamento na esquerda do lateral Oczipka.
Aos 86 minutos, já com Licá em campo, por troca com Varela, o extremo entendeu-se com Ghilas na frente de ataque, ganhou posição e rematou forte, o guarda-redes defendeu, mas o argelino estava na “dobra” e fez o terceiro golo, fazendo o empate que os portistas seguraram até final.