EUA | Luso-americana Meredith Vieira foi vítima de violência doméstica

    948

    article-0-216B5B7000000578-842_634x354

    A jornalista e apresentadora de televisão Meredith Vieira juntou-se quarta-feira à discussão nacional que envolve o país, na sequência dos escândalos de violência doméstica que afectam dois jogadores da NFL, a liga profissional norte-americana de ‘football’. Um dos jogadores é acusado de ter disciplinado o filho menor com pancadaria e outro de ter agredido a então namorada.

    Reagindo a uma campanha na internet intitulada #WhyIStayed and #Why ILeft, onde testemunhas explicam porque decidem manter-se ou abandonar um relacionamento amoroso abusivo, Vieira, agora com 60 anos de idade, recorreu ao episódio de 4ª feira, 17 de Setembro, do seu novo programa de TV, para relatar a sua experiência pessoal.

    “Mantive-me na relação abusiva por medo de que algo pior me pudesse acontecer”, disse Meredith Vieira, que é casada e mãe de 3 filhos.

    O caso deu-se quando a popular jornalista era mais nova. “Eu gostava muito dele”, explica. “A princípio, quando tínhamos um desentendimento, ele agarrava-me no braço. Não levei a coisa muito a sério, mas depois as coisas pioraram e vieram as ameaças também.”

    Só depois de ter mudado de estado por razões profissionais, é que Meredith Vieira teve coragem de pôr fim ao relacionamento abusivo.

    “A violência doméstica é um problema muito, muito complicado. Não é fácil sair-se dele. Se hoje a minha filha Lily, de 21 anos, passasse por algo semelhante, eu seria a primeira a dizer-lhe para abandonar uma relação abusiva. Mas na altura não existiam abrigos para vítimas de violência domésticas ou linhas telefónicas de apoio.

    A jornalista luso-descendente, que é neta de emigrantes portugueses da ilha açoriana do Faial e viveu sempre quase incógnita, não revela pormenores da pessoa que diz ter abusado física e mentalmente de si.