EUA| Calorosa recepção à nova cônsul-geral de Portugal em Nova Iorque

    1174

     

    1bDezenas de líderes associativos, políticos luso-americano e figuras ligadas à vida comunitária portuguesa nos Estados Unidos estiveram sábado à noite numa calorosa recepção de boas-vindas a Manuela Bairos. A alta diplomata, ministra plenipotenciária e ex-cônsul-geral em Boston, tomou assim contacto pela primeira vez com a área geográfica que tem agora sob sua jurisdição.

    O evento decorreu na sede do Mineola Portuguese Center, em Long Island, com a participação de representantes de associações lusas de todo o ‘Estado Império’. Entre as entidades presentes, destaque para o senador estadual Jack Martins, a deputada de emigração pelo círculo fora da Europa Maria João Ávila, o presidente da câmara de Mineola Scott Strauss e todo o conselho municipal, o presidente do PALCUS, Fernando Gonçalves Rosa e os conselheiros comunitários João Morais e Claudinor Salomão.

    Manuela Bairos começou por visitar as instalações do Centro e assinou, na secretaria do mesmo, o livro de honra da colectividade, em cujas páginas também figura uma mensagem do presidente Jorge Sampaio. “É uma grande honra e um enorme prazer servir esta comunidade de Mineola, as suas associações e clubes que são o mais vivo testemunho da herança portuguesa”, manifestou Bairos no registo ali deixado. “Espero poder seguir as vossas muitas actividades culturais, recreativas, desportivas ou outras que muito prestigiam e orgulham Portugal.”

    Acrescentou ainda a cônsul-geral: “Quero ao mesmo tempo agradecer o empenho e persistência desta comunidade na reactivação do Consulado Geral de Portugal em Nova Iorque. Juntos faremos um trabalho merecedor do nosso país (…).”

    No salão nobre, Manuela Bairos foi recebida por um grupo de jovens de escolas luso-americanas do estado de Nova Iorque e elementos do Rancho Folclórico ‘Juventude e Sonhos de Portugal’. Após uma sessão de fotografias com as individualidades presentes, Gabriel Marques, co-coordenador da noite, faria a apresentação dos convidados de honra, a que se seguiu o entoar dos hinos dos Estados Unidos e Portugal pelos alunos presentes.

    Seguidamente, Frank Teixeira, presidente da direcção do Mineola Portuguese Center, como anfitrião, daria as boas-vindas a Manuel Bairos, que recebeu ainda várias ofertas daquele organismo – incluindo uma das placas de rua ‘Portugal Boulevard’ que foram elevadas na Jericho Turnpike, pela primeira vez na história, aquando da parada do Dia de Portugal em 2014.

    Usariam do microfone o senador Jack Martins, que sublinhou a importância da manutenção dos serviços consulares em Nova Iorque, apelando ainda à participação cívica dos portugueses na sociedade norte-americana como estratégia de integração; a deputada Maria João Ávila, que exaltou as qualidades humanas e profissionais da homenageada e Gabriel Marques, que quis chamar a atenção para o espírito de união que agora reina entre as várias colónias lusas do estado.

    Numa breve intervenção, o ‘mayor’ de Mineola, Scott Strauss, faria a entrega de uma placa a Manuela Bairos e da simbólica Chave da Vila, em nome de todos os seus residentes.

    Também interveio o presidente do PALCUS, Fernando G. Rosa, que faria a entrega de uma placa à recém-eleita cônsul.

    Em nome dos variados líderes associativos, a presidente do grupo benemérito ‘Daughters of Portugal’, Rosa Leal, entregaria uma oferta a Manuela Bairos – um elaborado vaso da Vista Alegre, que mereceu rasgados elogios por parte da diplomata.

    Ao agradecer as homenagens, no final, Manuela Bairos sublinharia o empenho de todas as colectividades na organização da recepção, lembrando que o consulado deve estar virado para as comunidades. “Ele existe para servir os portugueses”, notou.

    Bairos considerou o evento “um dos mais importantes” da sua trajectória como diplomata e representante do estado português; exaltou a diáspora lusa a manter-se ligada às raízes; falou da importância da aprendizagem do português como forma de manutenção das tradições seculares do nosso país e realçou o papel que a comunicação social luso-americana desempenha nessa dinâmica.

    Importa terminar com uma referência muito positiva ao empenho demonstrado pelo comité organizador da recepção, a que se juntaram todas as associações lusas de Long Island e várias outras da região metropolitana de Nova Iorque e do condado de Westchester. Vive-se, certamente, uma nova e promissora realidade em Nova Iorque.

    A recepção foi servida pelo centro anfitrião e os vinhos gentil oferta do empresário José Morais, do estado da Virgínia, proprietário da Morais Vineyards and Winery.