“Emergência é uma chamada feita do local do crime logo após a ocorrência,” diz Polícia de Newark

970

NEWARK POLICE

“O conceito de emergência da polícia de Newark na resposta imediata a situações de crime não diverge do critério de outras polícias,” disse ao Luso-Americano o detective Michael Silva. A propósito de um assalto ocorrido perto da Niagara Street. no Ironbound no passado dia 8. Na madrugada desse domingo, dois jovens teriam sido vítimas de um assalto quando se dirigiam para casa, junto ao restaurante “Allegro” cerca das 2.30 da madrugada. Alegadamente, dois ou três indivíduos abordaram os jovens despojando-os dos seus haveres, concluindo dinheiro, telemóveis e até as sapatilhas de um deles.

O Luso-Americano, abordado pela mãe de uma das vítimas deu-nos o relato dos acontecimentos, afirmando a dada altura que a polícia teria informado a mãe do outro jovem que o assalto não era considerado uma emergência. Segundo a polícia de Newark, “um assalto comunicado logo após a ocorrência é considerado uma emergência.” No caso deste assalto, os jovens ter-se-iam deslocado para as suas casas e somente mais tarde comunicaram o assalto. Segundo Michael da Silva que ouviu a chamada telefónica entre a operadora do 911 e a mãe de um dos jovens, “em nenhum caso foi violado o código de acção da polícia.” “Teria havido um problema de comunicação,” referiu Michael Silva que aconselha as pessoas a contactar o 911 em caso de emergência, fazendo-o no local do mesmo ou, logo a seguir ao mesmo para que a polícia possa colocar no terreno a sua estratégia de detecção dos causadores do crime. “Quando um crime já aconteceu há horas é praticamente impossível uma acção concertada com resultados que levem à detecção dos responsáveis pelos crimes,” referiu. Um dos jovens chegou mesmo a estabelecer com a operadora do serviço de emergência mas, segundo informação policial “o diálogo não foi o mais correto.”

A polícia de Newark informa uma vez mais que “todas as situações de emergência são e serão respondidas com rapidez e deligentemente, sempre que sejam consideradas emergências. Como é do conhecimento público, acidentes que envolvem veículos automóveis, no caso de não haver feridos, são tratados nas esquadras, evitando-se assim o envio de um carro patrulha para o local. Esta acção, adoptada pela polícia de Newark e outras polícias, liberta de imediato alguns agentes e carros policiais que passam a estar disponíveis para responder a outras emergências.

Na análise feita à conversação entre as vítimas do assalto e suas famílias e o serviço de emergência policial, segundo Michael da Silva, “não foi detectada nenhuma irregularidade por parte da operadora que atendeu a chamada,” disse. Deixou de ser uma emergência quando a chamada foi feita muito tempo depois de o crime ter acontecido e noutro local,” referiu o detective. O conselho para os residentes de Newark é a participação imediata da ocorrência, solicitando que as vítimas registem a maior parte dos detalhes sobre o assalto e de quem o realizou e participação imediata, para que possa ser realizada uma operação de resposta policial efectiva.