ELIZABETH, NJ | Ruizinho esgotou lotação na Associação Portuguesa de Desportos

    1031

    Ruizinho 1

    A Associação Portuguesa de Desportos esgotou a sua lotação na tarde do último domingo onde o Ruizinho de Penacova fez vibrar a assistência com a sua concertina a acompanhar as canções brejeiras que fazem parte do seu vasto reportório. Canções bem conhecidas que os presentes também cantarolavam e que, usando da mesma forma o termo brejeiro, resultaram numa tarde de paródia.

    A festa começou com um almoço confeccionado e servido pelas Senhoras Auxiliares, que foi considerado de excelente qualidade, após o qual o artista colocou o castiço chapéu na cabeça, puxou por uma das concertinas e deu início ao espectáculo. E como é normal neste género de convívios, não podia faltar a desgarrada que deu a conhecer novos artistas que com rima ou sem rima fizeram rir a assistência e receber fortes aplausos. A Júlia, o Fernando e o Ruizinho, com o José Gomes a acompanhar com a concertina, entraram mesmo no picante e preencheram um espaço de tempo que encaixou perfeitamente no género de espectáculo.

    O corpo directivo da Portuguesa de Desportos também gostou, e já ficou no ar a possibilidade de em Novembro repetir este género do convívio.

    Ruiz Ferreira da Costa, com o nome artístico de Ruizinho de Penacova, nasceu no sul da França há 30 anos e como baterista começou a acompanhar o seu pai, acordeonista, nas colectividades portuguesas naquele país. Em 1992 foi para Portugal e continuou a acompanhar o seu pai nas festas e arraiais no agrupamento musical Flexas da Ponte.

    Mas ao longo do tempo foi-se apaixonando pelo acordeão e pela concertina, e decide aprender a tocar tendo como ídolo Quim Barreiros. Com estes instrumentos tocou em várias orquestras como a Mondegstar e Banda Pacífico, tendo sido nesta época que “nasceu” o acordeonista e concertinista Ruizinho, conhecido por ser cantador ao desafio.

    Em 2005 decide montar o seu projecto Ruizinho de Penacova, iniciando um percurso nacional e internacional que em Portugal o levou de norte a sul, e no estrangeiro à América do Norte e do Sul, Canadá, França, Suíça, Bélgica, Alemanha, Luxemburgo, Inglaterra, etc.