ELIZABETH, NJ | Na Missa do Dia de Natal beijou-se o Menino ao som de cânticos de louvor

    833

    Missa 2

    Beijar a imagem do Menino Jesus na época do Natal é uma tradição milenária e um costume popular, mas é também um gesto cheio de ternura e de fé. “Ele nasceu em Belém, não O pude visitar nem adorar. Venho agora, neste beijo simbólico, manifestar o meu carinho e a minha gratidão por Ele ter encarnado. E adoro-O porque é Deus”, lê-se nos escritos referentes a este acto.

    Foi o que mais uma vez aconteceu na Missa do Galo e nas Missas do Dia Natal que se celebram em todo o mundo católico, e particularmente na Missa do meio-dia a que assistimos na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Elizabeth.

    Espaço completamente cheio, na homilia o Padre João Carlos exortou os fiéis a reconfortarem quem vive sozinho, sobretudo nesta quadra, lembrando a Mensagem de Natal.

    Terminada a Missa adultos e crianças formaram longas filas para beijar o Menino, ao som das músicas e canções de Natal interpretadas pelo grupo coral, o que para um olhar mais atento não deixou de ser curioso observar as ligeiras transformações nalguns rostos por onde também se via rolarem lágrimas.

    Os paroquianos puderam também apreciar o presépio este ano exposto noutro local, e a vistosa decoração na área do altar-mor, a que o Padre João Carlos fez referência bem como ao Grupo de Decorações, que preparou os enfeites.

    E nesta quadra festiva certamente foi ainda mais sentida a Mensagem de Natal do Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, na qual afirma que a “família é o bem comum mais precioso que todos os cidadãos devem garantir, sendo responsáveis também por acorrer a tudo o que permite que a vida nasça”.