“De mim, os residentes podem esperar empenho, dedicação e integridade”

    847

    Augusto Amador boa foto

    A escassas três semanas das eleições municipais de Newark, que determinarão a liderança política na cidade para os próximos quatro anos, o Luso Americano inicia hoje a apresentação das entrevistas dos candidatos a vereadores do Bairro Leste, depois de ter apresentado os candidatos à Câmara Municipal.

    Augusto Amador o actual vereador incumbente, eleito pela primeira vez em 1998 é o primeiro dos 5 candidatos a apresentar-se aos eleitores do Luso Americano.

    Augusto amador começou por explicar o porquê de uma nova candidatura, referindo serem duas as razões. O plano que traçou em 1998, que tem a ver com as criações das infraestruturas no bairro com vista a uma melhor qualidade de vida ainda não está concluído e também porque se sente com a mesma motivação em trabalhar em prol da comunidade tal como quando se apresentou ao eleitorado em 1998.

    Sobre as áreas de acção para os próximos quatro anos referiu: “a segurança pública prevê fazer crescer o número de polícias nas ruas, aumentar as infraestruturas de modo a que os residentes tenham melhor qualidade de vida e estabilizar os impostos prediais”.

    Sobre o apoio a Jeffries referiu que o candidato a mayor “é o parceiro ideal para a realização desses projectos pois compreende o que é o Bairro Leste e quer que o Bairro seja um exemplo para a cidade. Shavar Jeffries mostrou-se também consciente sobre os graves problemas de segurança que nos afectam e está determinado em fazer a diferença para que este bairro seja ainda mais determinante, mas receba também as contrapartidas a que por direito tem. Depois de ter apoiado Ramos, Shavar Jeffries é a única solução. Baraka não me oferece garantias, pois as suas propostas são negativas, enquanto Jeffries apresenta uma dinâmica positiva onde esta incluído o programa de descentralização dos serviços de moldes similares ao Little City Hall”.

    Para devolver a segurança aos residentes referiu: “temos um problema sério, quando votei em 2010 no despedimento dos policias votei debaixo de duas opções, despedimentos e estagnação dos impostos ou menos e um aumento substancial, cerca de 40 por cento nos impostos, a escolha teve que ser uma, mesmo sabendo o que isso acarretaria”, adiantando que, “hoje a cidade vive uma situação diferente, sem uma onda forte de crimes violentos. Claro que crimes como assaltos e roubos aumentaram drasticamente e por isso temos que trabalhar e de ter uma ligação forte entre comunidade e polícia. Temos que detectar áreas onde o crime é mais intenso e aí a policia tem que intervir mais acentuadamente”.

    Os agentes da autoridade devem ter qualidade para assumir a sua posição. Tenho muitas reclamações de que os polícias reagem despreocupadamente perante os problemas apresentados pelos residentes, vivendo cá ou não vivendo como residentes exigimos o mesmo empenho e dedicação”.

    Sobre qualidade de vida referiu que “temos problemas sérios com poluição, o aumento da ponte de Bayonne acentuará isso ainda mais, temos que estar vigilantes e participar atentamente assumindo o apoio a organizações como o ICC líder em acções contra o aumento de poluição. Esta área é fundamental para Newark como para o estado, devido à nossa localização entre o porto e um dos maiores aeroportos da nação, por isso temos que activamente participar para que essas iniciativas não nos prejudiquem, ao mesmo tempo quero continuar a desenvolver áreas anteriormente contaminadas e criar novos pontos de trabalho como o projecto da Dupont Street e da Lister Avenue por exemplo”.

    Na educação Amador defende uma reforma, com a participação dos encarregados de educação e com a participação das entidades eleitas na cidade de Newark “não como foi feito com o Newark One Plan, onde uma pessoa sozinha consegue forçar a implementação desse projecto sem o apoio de estruturas politicas ou sociais. Várias vezes pedi à superintendente para dialogar com o concelho municipal e ela nunca apareceu. A reforma tem que ser criada e aprovada não imposta”, avançando,: “hoje o Newark One não pode afectar muito o bairro, mas em dois ou três anos seremos vítimas desse plano e isso não pode acontecer”.

    Sobre impostos referiu: “baixamos em cerca de 16% os impostos residenciais, sobre a área comercial a reavaliação foi feita porque os valores foram ao encontro ao valor do prédio, houve erros e corrigimos muitos desses problemas, fui ponte de ligação entre a firma e os proprietários e conseguimos reduzir esses valores e hoje esses proprietários reconhecem o trabalho feito”.

    Sobre novas infraestruturas disse que “depois de quase quatro décadas o estádio do ironbound vai ser uma realidade, não como aposta política em época de eleições mas devido a um trabalho de base que tenho vindo a desenvolver para atingir esse objectivo. Cumprimos fases e mantivemos uma posição firme para atingir esse fim.”

    São cinco os candidatos e sobre isso Amador refere que a sua atitude vai ser a mesma. “Todos podem apresentar a sua candidatura, mas de mim os residentes podem esperar empenho, dedicação e integridade. Como estou no cargo à 16 anos criam-se anticorpos que se revelam em época de eleições, mas existe um reconhecimento ao trabalho feito, trabalho com alto sentido de credibilidade, onde os idosos, os jovens e todos os residentes são o centro das minhas prioridades,” disse.