Certificação da Fogaça da Feira deverá demorar cerca de um ano a concluir-se

1115

638px-Fogaca_Sweet_Bread

O presidente do Agrupamento de Produtores de Fogaça da Feira anunciou anteontem, numa prova enquadrada na edição de 2014 da Festa das Fogaceiras, que a certificação nacional desse pão doce deverá concretizar-se dentro de aproximadamente um ano. “Neste momento, o processo está a ser analisado pelo Ministério da Agricultura e, no final de 2014, estamos a contar ter a certificação nacional”, declarou Diogo Almeida, durante a prova hoje realizada no salão nobre do Castelo da Feira. Em causa está um processo legal iniciado em 2006, mas que, segundo o porta-voz dos produtores de fogaça, “só começou efectivamente há ano e meio, que foi quando se teve a certeza de que o ministério recebeu realmente a proposta”. Diogo Almeida reconhece que a conclusão dos procedimentos, no total da sua componente nacional e internacional, “não é para este ano de certeza absoluta”, mas, até final de 2014, espera obter no mínimo a Identificação Geográfica necessária para que o processo possa depois avançar para Bruxelas. Aí, uma comissão técnica da União Europeia irá dispor de mais seis meses para responder ao pedido de certificação internacional ou questionar os produtores sobre aspectos que pretenda ver esclarecidos para atribuição da Identificação geográfica Protegida, que reflectirá o reconhecimento comunitário da especificidade da fogaça. Para os produtores, Diogo Almeida afirma que a certificação representará “a certeza da separação entre o trigo e o joio” e a garantia de que “ninguém poderá vender fogaça da Feira se não for um produtor certificado”. Para o consumidor, a vantagem é que passará então a poder escolher fogaça com maior tranquilidade, na medida em que, perante a certificada, saberá que “está a comprar o produto original, confeccionado com os ingredientes certos e da forma correcta”. Questionado sobre a possibilidade de outras fogaças poderem ser confeccionadas noutros locais da Europa, com o mesmo sabor, Diogo Almeida identifica outra marca distintiva do pão da Feira para além da sua forma de confecção e das proporções entre os ingredientes utilizados: “Só a nossa fogaça pode ter esta forma, com as quatros pontas a imitarem as torres do Castelo da Feira”. Actualmente, o Agrupamento de Produtores de Fogaças da Feira conta com 14 associados. O presidente desse organismo acredita que, depois de obtida a Identificação geográfica do produto, esse número “vai rapidamente multiplicar-se por dois ou quatro”.