Casa Branca lança campanha agressiva para recuperar ordens executivas de Obama sobre imigração

    837

    Obama

    A batalha sobre a acção movida pelo Texas e outros 25 estados, colocou os programas de Obama em perigo. Em resposta, o governo está a avançar com uma estratégia jurídica agressiva, confiante de que as políticas de Barack Obama são constitucionais.

    Os republicanos que apoiam a acção dos estados argumentam que Obama ultrapassou a sua autoridade. Os republicanos alegam que a extensão dos processos de deportação e as autorizações de trabalho a milhões de imigrantes ilegais são um fardo pesado para os contribuintes.

    Esta semana, o Departamento de Justiça pediu a um tribunal federal de Apelos para anular um despacho de um juiz do Texas que bloqueou os programas.

    A ordem do juiz distrital Andrew Hanen, no dia 16 de Fevereiro, forçou a administração a atrasar as acções executivas e surgiu apenas 48 horas antes de os primeiros processos terem sido aceites. Num pedido formal a o Departamento de Justiça pede ao Quinto Tribunal de Apelos que anule a ordem do Juiz do Texas, considerando-o “sem precedentes e errado.”

    Se o tribunal aceitar a pretensão do Departamento de Justiça, a administração Obama poderia começar a implementar os programas. Mas se tal não se verificar, a batalha legal poderá continuar, possivelmente por vários meses.

    “O presidente Obama tem agido legalmente, constitucionalmente, e também com sabedoria”, disse o governador da Califórnia Jerry Brown (D), que falou aos jornalistas na Casa Branca, após uma reunião com funcionários do governo.

    “Penso que alguns desses governadores republicanos deveriam ter vergonha de si mesmos.”

    A Califórnia tem uma das maiores populações de imigrantes ilegais nos Estados Unidos.

    O Presidente Obama vê a imigração como uma peça central do seu governo e quer ver a batalha legal resolvida rapidamente.

    “Vamos ser tão agressivos quanto pudermos, porque não só sabemos que a lei está do nosso lado, mas a história está também do nosso lado”, disse o presidente no mês passado num programa de televisão da MSNBC.

    Os republicanos discordam.

    “Penso que o presidente dos Estados Unidos vai perder de novo”, disse em jeito de resposta o Rep. Ted Poe (R-Texas) na TV Newsmax.

     

    A administração já irritou os republicanos ao deferir processos de deportação e concedendo autorizações de trabalho para 100 mil jovens imigrantes ilegais no âmbito de um programa de 2012.

     

    Como alternativa, o departamento de Justiça sugere que a decisão de impedir o avanço das ordens executivas pode aplicar-se aos 26 estados que estão contra o plano de Obama, mas não os outros.