CALIFÓRNIA: Filarmónica Portuguesa de Tulare, 33 anos ao serviço da música e da comunidade

    1054

    marching

    A Filarmónica Portuguesa de Tulare, que neste ano de 2014 participou nos festejos das Sanjoaninas na ilha Terceira, acaba de celebrar os seu 33º aniversário. O evento ocorreu, como é habitual, no salão do TDES, na cidade irmã de Angra do Heroísmo. Durante três dias, a actual direcção promoveu uma amálgama de actividades de índole popular que incluíram vacada, concertos pelas Filarmónicas visitantes e pela Filarmónica aniversariante, concerto pelas crianças alunas do curso de música da mesma Filarmónica, espectáculo com artistas da nossa comunidade, almoço, arraial, missa campal, e música para baile ao ar livre. Foi mais um fim-de-semana de festa intensa, salpicada com as tonalidades da nossa música popular e com a culinária das nossas ilhas.

    Os emigrantes açorianos de Tulare, assim como alguns açor-descendentes, desta cidade e zonas circunvizinhas, puderam, ainda mais uma vez, celebrar com a Filarmónica Portuguesa de Tulare a cultura popular açoriana. Recriar, num espaço muito nosso, a ambiência dos festejos típicos das freguesias açorianas.

    Há 33 anos, que a Filarmónica Portuguesa de Tulare, vem servindo a nossa comunidade e representando a comunidade de origem portuguesa em Tulare nos vários festejos que se realizam um pouco por todo o estado da Califórnia. A Filarmónica Portuguesa de Tulare é presença viva nos festejos das nossas comunidades de todo o centro da Califórnia, incluindo as zonas litorais.

    Tony Nunes, presidente da direcção ao longos dos últimos três anos, mostrou-se satisfeito com a presença da nossa comunidade nos três dias de festa e agradeceu à comunidade o apoio prestado, salientando, na saudação feita aos presentes depois da missa campal, que a Filarmónica é uma instituição com três décadas de vida e que a sua existência deve-se ao esforço de todos quantos têm trabalhado, nas mais diversas formas, para a sua continuidade ao longo destes anos. Assim, com o sentido histórico do que foi feito e do que se poderá ainda fazer, constrói-se comunidade, trabalha-se para preservar e promover o nosso legado cultural, neste caso o legado cultural das Filarmónicas, que nos Açores têm uma história secular e nas comunidades de açor-descendentes, particularmente na América do Norte, já têm raízes de várias décadas.

    Parabéns à Filarmónica Portuguesa de Tulare que caminha para o seu trigésimo-quarto aniversário.