“Assalto à mão armada não é considerado emergência”

1009

Assalto mão

Um grande susto,” refere Cathy Pires, residente no Ironbound ao Luso-Americano. O filho Guilherme, de 21 anos de idade, foi alvo de um assalto à mão armada, levado a efeito por três homens na madrugada do passado domingo nas esquinas da Niagara com a Kossuth, em Newark.

“Eram cerca das 2.30 da madrugada quando um amigo do meu filho o deixou com um amigo brasileiro na Niagara Street a poucos metros de casa. Sem saberem como, os jovens foram rodeados por três indivíduos que se faziam transportar num jeep verde. Apontaram-lhe as armas à cabeça e exigiram o que tinham consigo. Os miúdos obedeceram e foram despojados dos telemóveis e carteiras com dinheiro e documentos,” refere Cathy Pires. “Para que não bastasse obrigaram o meu filho a descalçar as sapatilhas e a darem as mesmas aos assaltantes. Os miúdos ficaram em estado de choque. A primeira coisa que fizeram foi ligar de casa para o 911 reportando o assalto.

Quem atendeu disse-lhes que “não era uma chamada de emergência e que deviam ligar para o 973-733-6000. O contacto demorou mais de 15 minutos. Quando atenderam disseram-lhes para irem à esquadra a Market Street onde foram informados que não havia agentes para registar a ocorrência. Disseram-lhes para irem à Franklyn Street. Lá foram e encontraram três agentes que pouco se importaram com o assunto. É triste a forma como somos tratados,” refere Cathy Pires que já tinha sido assaltada há dois anos quando se encontrava acompanhada de duas crianças, junto ao Independence Park. O filho, também já tinha sido vítima do mesmo crime.

O sistema de recepção de chamadas 911 está a causar muita apreensão entre os residentes uma vez que as mesmas são atendidas fora de Newark e por ordem de prioridade enviadas para as esquadras. O número de não emergência raramente regista ocorrências e demora a atender. Nunca foi explicada a estratégia de prioridades da polícia de Newark nem como são atendidas e filtradas as chamadas telefónicas de emergência. Ligar para o 911 está agora considerada uma opção de roleta. Se houver sorte a chamada é atendida e despachada. A pergunta que se coloca: “O que é considerado emergência?” A comunidade precisa saber para tomar previdências.