Arquipélago dos Açores venderam mais carne para fora das ilhas em 2013

    960

    carne

    Os Açores aumentaram a venda de carne para fora do arquipélago em 2013, alcançando as 7,86 mil toneladas, mas a saída de pescado via aérea diminuiu, segundo dados divulgados pelo Serviço Regional de Estatística.

    Os dados divulgados no ‘site’ do Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA) indicam que a saída de carne bovina para o exterior do arquipélago passou de 7,14 mil toneladas em 2012 para 7,84 mil toneladas em 2013, num aumento próximo dos 10%.

    Em termos de cabeças de gado bovino, estes números traduzem-se em 32.667 animais em 2012 e 37.453 no ano passado.

    No que toca às pescas, os dados compilados pelo SREA reúnem informações recolhidas junto da TAP e da SATA e, por isso, só se referem à saída de pescado via aérea.

    Neste caso, os valores baixaram de 2012 para 2013, passando de três mil toneladas para 2,71 mil (-9,7%).

    Os exportadores de pescado da região, através da Associação de Comerciantes de Pescado dos Açores (ACPA), têm-se queixado de dificuldades em escoar os produtos devido à indisponibilidade de carga nos aviões das duas transportadoras aéreas que asseguram as ligações das ilhas ao exterior.

    Os dados referentes à carne divulgados pela SREA têm como fonte o Instituto da Alimentação e Mercados Agrícolas (IAMA) dos Açores.

    O SREA destaca que dada a “dificuldade” em conhecer o comércio externo numa região com as características dos Açores, tentou com a divulgação destes dados “colmatar algumas lacunas” em algumas áreas, “estimando informação relativa aos principais produtos” açorianos e “utilizando sempre que possível dados administrativos”.

    No mesmo conjunto de dados que disponibilizou, o SREA revela o resultado de um inquérito às empresas de lacticínios das ilhas, concluindo que a comercialização dos “principais produtos lácteos” dos Açores, dentro e fora do arquipélago, representou 246,3 milhões de euros em 2012.

    O maior mercado destes produtos é Portugal continental (200,9 milhões de euros), sendo o queijo o produto com mais peso (115,8 milhões de euros no conjunto de todos os mercados, nacionais e internacionais).