Açores esperam investir 1,4 mil milhões de euros até 2020 através de fundos europeus

    1214

    douro azul

    Os Açores esperam alcançar um investimento global de perto de 1,4 mil milhões de euros até 2020 através de programas co-financiados pelo Fundo Social Europeu e pelo FEDER, disse o presidente do Governo Regional.

    Vasco Cordeiro falava em Ponta Delgada numa conferência de imprensa para apresentação da anteproposta de Programa Operacional (PO) Açores 2014-2020, que terá de ser enviado à Comissão Europeia para financiamento de projectos através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e do Fundo Social Europeu (FSE).

    Segundo o presidente do executivo, o PO Açores 2014-2020 “tem uma dotação financeira global de fundos comunitários de mais de 1,1 mil milhões de euros para este período de programação”, sublinhando que não se incluem aqui as verbas referentes às Pescas/Mar e à Agricultura.

    Vasco Cordeiro disse que “cerca de 412,5 milhões de euros de fundos estruturais, metade de toda a dotação do fundo estrutural FEDER, estão concentrados em temas relativos ao que se tem designado de crescimento inteligente”, mas “é na aposta nas empresas regionais, nos seus projectos de investimento de crescimento, de modernização e de internacionalização, que se consignam mais de 303 milhões de euros de fundos estruturais, ou seja, cerca de três quartos do total direccionado para o crescimento económico”.

    Na área da educação, formação profissional e aprendizagem, a “resposta regional” prevê “perto de 500 milhões de euros, maioritariamente disponibilizados pelo Fundo Social Europeu”, referiu, destacando “os recursos aplicados na integração sustentada” de desempregados no mercado de trabalho, em especial “para a integração dos jovens e para a promoção do auto-emprego”.

    Cerca de 172 milhões de euros de fundos comunitários serão aplicados em infra-estruturas e equipamentos sociais, em investimentos na rede de saúde pública, em programas de emprego, em acções no âmbito da economia social e “no acesso dos grupos mais vulneráveis ao mercado de trabalho e no fomento do empreendedorismo social”.

    Quanto à intervenção na rede pública de ensino, construção e remodelação das escolas, formação profissional, reconversão de activos e no combate ao abandono escolar precoce, entre outras medidas, o presidente do Governo açoriano disse que “foram consignados recursos financeiros comunitários superiores a 225 milhões de euros”.

    Para as redes de infra-estruturas, ambiente e na prevenção e riscos e nos transportes “ascenderão a cerca de 220 milhões de euros, destacando-se o sector dos transportes, com perto de 68% desta dotação”, indicou.